Experiências sobre um outro modo de sentir e interpretar os outros.

Para chegar à Nação Humana Universal não se pode acreditar que as regras ou leis que protegem e promovem a diversidade, a liberdade e a profundidade da existência conduzam a uma transformação substancial do Ser Humano. A mudança profunda só se poderá dar quando mudar a forma de sentir e percecionar o outro. A regra de ouro, “trata os outros como queres ser tratado”, surgirá de uma repulsa visceral da violência. Esta mudança cultural, emocional e física no que diz respeito à compreensão e ao acolhimento de outro ser humano em nós, começa pela experiência de nos sentirmos uma parte indissolúvel do todo, não só como seu constituinte mas também como uma expressão criativa e dele construtiva.
É uma alegria pertencer, ser parte, ver que na liberdade e na possibilidade de humanizar daqueles que nos rodeiam está o nosso destino pessoal.

Contacto: Simone Casu

Promotores: Grupo de trabalho composto por Manuela Widmar, Fiorella Orazzo, Sabrina Pepe, Paola Giordana di Nardo, Domenico Orlando, Simone Casu

Programa: oficina sobre o tema